08/06/2016

4 Coisas que eu tenho aprendido em 4 meses nos Estados Unidos



Hi peopleee,

    Hoje faz 4 meses que cheguei na terra do Tio Sam. Todo dia 8 eu fico pensativa, nostálgica, com os sentimentos turbilhados e mais um monte de sensação misturada rsrsrs. Ao longo desses 4 meses tenho aprendido muita coisa, mais do que posso imaginar ou listar. 
    Fazer intercâmbio é estar sempre aprendendo coisas noivas; é ter um aprendizado novo a cada dia, mesmo seguindo uma rotina, nenhum dia é igual ao outro; é ter oportunidade de aprender coisas novas e perceber que aprendizados antigos passam a ser verídicos; é adquirir uma nova lição de toda e qualquer vivência, por mais simples que seja; é esvaziar nossa bagagem para preenchê-la com todos os aprendizados adquiridos aqui, sejam eles positivos ou negativos. 
  Sendo assim, resolvi compartilhar com vocês 4 coisas que tenho aprendido nesses 4 meses (conforme o título do post sugere rsrsrs). 
    Com o intercãmbio, eu tenho aprendido:


1- A SER BRASILEIRA


                            
(nem bandeira do Brasil eu tinha antes de vir pra cá rsrs)

      Sim, às vezes é preciso morar em outro País para dar ainda mais valor ao nosso, é preciso sair do Brasil para ser, de fato, Brasileiro. Pensar fora da caixa, me fez enxergar o Brasil de outra maneira, me fez ter mais orgulho de ser Brasileira, independente da situação atual do País.
      Quando eu ainda estava no Brasil, por vezes falava super mal dele, dizia que não voltaria, contava os dias para morar fora, dizia e fazia todas aquelas coisas de gente revoltada com o Brasil. Mas, o que eu não esperava era conhecer outro Brasil, um Brasil pelo qual vale a pena lutar, um País extremamente rico em cultura e em diversidade, diferente e melhor (diga-se de passagem) que qualquer outro. Enfim, com o intercâmbio, tenho aprendido a valorizar cada detalhe que só o Brasil tem, principalmente a comida. É engraçado que quando saio e vejo qualquer coisa que me lembre o Brasil fico tão feliz, por mais boba que seja a coisa; e quando alguém que nem conhece o Brasil resolve falar mal dele, o defendo com todas as forças. Porque, né? Só os Brasileiros têm esse direito! 
      E sim, eu quero e vou voltar para o Brasil, mesmo com todas as dificuldades, eu não troco o meu País por nenhum outro. E foi preciso morar fora para perceber isso!


2- A VALORIZAR TUDO
(Quando digo TUDO, é TUDO mesmo rsrs) 

(para representar as pessoas que eu mais aprendi a valorizar: familiares e amigos)

     Com o intercâmbio, aprendi o valor das coisas, desde as pequenas até as grandes. E não digo isso pensando apenas no valor material, mas também (e principalmente) no valor sentimental. Mesmo sendo do tipo de pessoa que dá mais valor às pequenas demonstrações de afeto do que aos presentes mais caros, eu realmente tenho aprendido o verdadeiro valor de tudo. 
     Coisas simples, corriqueiras, do dia-a-dia, que antes passavam despercebidas, hoje tem muito mais significado para a minha pessoa, como por exemplo, dar um beijo de boa noite em meus pais antes de dormir (por fazer isso todos os dias, nunca percebi o quanto isso é importante e a falta que faz).
    Aprendi desde cedo que, por vezes, é preciso perder algo para dar valor e, olha, hoje percebo o quanto essa frase é verídica; foi preciso sair do Brasil para dar valor a ele e tudo o que tem nele, principalmente as pessoas. Sair da minha zona de conforto, do aconchego do meu lar, da minha casa, se fez necessário para valorizar minha família e tudo o que só eles fizeram, fariam e fazem por mim, assim como me fez valorizar meus amigos e perceber quais são os de verdade! 
     Aprendi a valorizar até arroz e feijão, que tantas vezes reclamava por comer isso quase todos os dias. E, claro, a valorizar pequenos gestos de afeto que recebo, que aqui se tornam imensos!



3- A TER/SER MENTE ABERTA

     Morar fora, conviver diariamente com outras culturas (no plural, porque aqui tenho conhecido gente de tudo o que é canto do mundo), abriu os horizontes da minha vida, me ajudou a descontruir estereótipos, julgamentos e preconceitos.
     Aprendi que o mundo vai muito além do que se vê e, por essa razão, as pessoas também! Abrir a minha mente tem me ajudado a enxergar as pessoas e o mundo de uma forma totalmente diferente.
    Hoje, realmente, sei que as pessoas vão além da aparência, da cultura, religião, estereótipos e "padrões" de beleza. Aprendi com os americanos que você pode ser quem você quiser e ninguém vai te julgar por isso. Aqui você pode sair de pijama, com o cabelo lá em cima, com a mesma roupa que você fica em casa (isso é bem normal por aqui, se a pessoa tá é casa e resolve ir ao barzinho, ela vai do jeito que está) e ninguém irá te olhar estranho por conta disso. 
     No Brasil, tinha costume de me importar com a aparência (a minha própria e a dos outros) e quando eu saia do jeito que estava me sentindo bem, tinha medo de as pessoas me criticarem pela minha roupa e/ou cabelo. Outro exemplo, se uma pessoa saia de pijama na rua, para mim era o fim, era uma coisa inaceitável.  Aqui tenho aprendido a sair da maneira que me sentir confortável, sem me preocupar se minha roupa está adequada, se estou bem arrumada ou whatever que seja. Não! Ainda não crei o hábito de muitos americanos de sair de pijama e acho que nunca farei isso, ainda acho que pijama deve ser usado exclusivamente para dormir rsrsrs, mas aprendi a não me importar se a pessoa vai ao Supermecado, Farmácia ou até ao Shopping vestida assim. 
     Aliás, ter a mente aberta é essencial para o intercâmbio, pois é isso que faz adquirirmos tanta experiência. E, como disse,manter a mente aberta tem me ensinado a dar valor ao que realmente importa!



4- A ECONOMIZAR

  Não que eu fosse a pessoa que mais gastava no mundo, pelo contrário, sempre fui mão de vaca,. Pesquisava valores das coisas antes de comprar e, R$1 de economia já era ótimo para mim. Mas acho impressionante como aqui eu tenho me superado, e olha que eu tenho comprado muita roupa, por exemplo, mas passou de 10 obamas eu já acho caro kkkkkkkkkkk
  Quem é Au Pair sabe o quanto nosso salário parece muito quando estamos no Brasil, mas é quase  nada quando chegamos aqui. Afinal, ganhamos e recebemos em dólar. 
   Ecomomizar no País do consumismo pode ser bem difícil, mesmo para quem é mão de vaca como eu, como algumas coisas aqui têm o preço justo (a gente paga pelo produto, não pelo imposto), é comum dar a louca e querer sair comprando tudo, mas foi e está sendo preciso passar por perrengues para aprender a, de fato, economizar e dar prioridades ao meu dinheiro. Ah! outra coisa que aprendi a dar valor foi ao dinheiro rsrsrs agora sei quanto as coisas custam e o quanto eu preciso me esforçar para conquistá-las.
    Aprendi que, embora receba por semana, não se faz necessário torrar o salário semanalmente rsrsrs Mas, mesmo assim, economizar é um quesito que eu preciso aprender muito mais!




   Enfim, poderia passar o dia listando várias coisas que eu tenho aprendido aqui, mas separei essas porque são as mais evidentes no meu dia-a-dia e também são aprendizados que podemos ter antes no Brasil mesmo, mas que no meu caso, foi preciso sair para aprender rsrsrs 
E que venham mais lições, vivências e experiências!!

Um super beijo no coração de vocês e feliz 4 meses para mim :D


4 comentários:

Murilo Teixeira disse...

Caramba Suzy!!! 4 meses já? passaram voando!!!
Murilo.

Marrisie disse...


Gostei do conteúdo deste texto e do seu estilo. É importante compartilhar o que aprendemos quando saímos do nosso país, pois as pessoas adquirem saberes para passar por experiências e vencer suas dificuldades. isso é uma forma de aprendizagem. também leva a saber viver e conviver numa terra que não é a nossa.

Marrisie

Suzane Cruz disse...

Já, Muuu!! Nem fala, rápido demais mesmo!!

As festas de Manuca disse...

Linda!! Aprendendo muito mesmo! ! Te amo